Morrer sem ter colo!

"Nunca ninguém me pegoun ao colo, me embalou, tomou conta de mim e me levou até aos céus.
É assim que vou morrer, sem saber o sabor da acalmia da mente, da alma, como uma praia infinita
de areia branca e águas transparentes, uma floresta de múltiplos verdes em  que o vento deposita
uma dança maravilhosa, numa melodia impossivel de descrever.
Vou morrer virgem de tantas coisas, de tantos sentimentos e sensações que nunca provei, que não
 sei como são.
Se o destino existe, e se ele se prende com reencarnações sucessivas, a essa outra que virá um dia
eu desejo a paz de espirito, sem assombros de fantasmas de infãncia, sem o peso de todas as respon-
sabilidades e principalmente esta lucidez que, como um espelho gigante e multifacetado, mostra-
me clara e nitidamente os meus erros, omissões e faltas.
Tenho saudades do que não conheço, mas que revejo na vida dos outros!
Tenho pena desta minha existência, desta passagem pela vida, tão imperfeita, tão pouco de tantas
coisas e tanto de tantas outras.
O irónico é que, desde que me lembro de ser gente, sonhei com esse colo, esse abraço protector,
esse escudo contra o medo, as tempestades, os desgostos ridículos e as amarguras de lágrimas de
raiva e sangue.
Sonhei-o, a esse anjo! Nada de especial, nada de fantástico. Apenas  alguém suficientemente bom,
inteligente e capaz de me amar como eu sou, de me conhecer para além do óbvio e de me cuidar,
como se fosse um pedaço de jardim, um livro antigo ou uma peça sem outro valor senão o da
Saudade!"
 
 *Li algures e achei incrivel
 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: