Urbano Roots

 
Música do século XXI, este disco reproduz as sonoridades ancestrais combinadas com a inspiração futurista das máquinas sonoras
do nosso tempo. Representa uma proposta alternativa para as pistas de dança do futuro – é o antípoda que eleva a energia electrónica
à dimensão orgânica! 1- 13:20 – É um tema que dura exactamente 13 minutos e 20 segundos, mas é também uma inspiração para sentir
e tomar consciência da frequência natural do ser humano. Podemos ampliar essa percepção muito além das nossas fronteiras, ou seja,
se fazemos parte da rede da vida, fazemos parte também de outras galáxias, universos, sociedades de seres interplanetários que vibram
numa frequência 13:20: 13 dos 13 tons galácticos da criação e 20 das 20 frequências solares, que são os 20 selos das 20 tribos solares.
A frequência 13:20 é, assim, a frequência natural do ser humano e de todo o Universo, com 13 luas ou meses de 28 dias cada, tal-qual
o ciclo menstrual feminino, por oposição ao calendário gregoriano que divide o tempo em 12 meses, com 28, 29, 30 e 31 dias.

Contrariamente à frequência natural universal, vivemos, pelo calendário gregoriano, a frequência 12:60, ou seja, 12 dos 12 meses e 60
dos 60 minutos de cada hora do dia. Esta frequência é, pela mão do homem, falsa e antinatural, centrando-se em objectivos meramente
materiais. A dominação sistémica do Homem, pela criaçao falseada de vários medos e pelo seu apartamento da natureza, tem gerado
um crescente desequilíbrio no seu cerne, resultando numa sub-utilização da sua plena capacidade cognitiva e espiritual. Como
consequência de um sistema tecnocrata e policial globalizado, regido, sobremaneira, por uma elite economicista que apenas tem como
objectivo o lucro, assiste-se a uma crescente privatizaçao dos recursos mundiais, à formação e disseminação de guerras e doenças, a uma
criaçao de falsas necessidades, a uma maximizaçao das questões da segurança – em relação directa com a criação dos medos -,
transformando as relaços humanas em relações comerciais e oportunistas, debilitando, por fim, a ligaçao primária e ancestral do Homem
à Natureza.O ser humano cai, então, na alienação, no sofrimento, na escravização psicológica, na subserviência mental e emocional,
perdendo o seu conteúdo criativo e libertador, em prole de uma rotina mecanizada pelo calendário gregoriano, da sobrevivência em
detrimento da verdadeira vida.O tema 13:20 serve de consciencialização do calendário maya, um calendário perfeito e exacto, dado que
leva em consideração aspectos racionais, espirituais, matemáticos e astronómicos, sugerindo a alteração do 12:60 por 13:20, para que
ocorra a harmonização entre as vertentes material e espiritual no ser humano e a sua sincronização com o Universo.
2 – 5 Fluxos – É um tema que tem uma amplitude de texturas sonoras muito complexa, aliada a poliritmias e compassos que despertam
emoções fortes. Inspira a uma viagem
pela selva onde o propósito é escutar os sons da natureza e estar atento ao perigo eminente.
3 – Mata a Fome – Faz parte da história antiga da banda, quando julgava que concursos de música em Portugal tinham alguma
representatividade no panorama musical e artístico nacional. Serviu-lhes de inspiração para cover, a entrar no reportório a concurso, um
tema de Reporter Estrábico (banda-vizinha na sala de ensaios) que alerta de forma irónica para o consumismo exarcerbado. E assim como
outro sinal de alerta humorista, mas de expressao aerofónica, OliveTreeDance subscreve os valores para uma nova relação com o consumo.
4 – Viva o Malhão! – Aproxima-se de uma representação bem mais criativa de um grito de guerra sobre a cultura musical portuguesa e o
que dela ainda não estamos a explorar. Por isso, o tema pretende demonstrar como a herança musical portuguesa poderá influenciar, não
só as novas gerações de músicos portugueses, como outras pelo mundo inteiro. Este é um tema que remarca bem o cariz contemporâneo da
banda sobre as influências tradicionais. Também demonstra como os músicos estão abertos à exploração da diversidade dos intrumentos
tradicionais portugueses, reciclando e fazendo das velhas novas sonoridades.
5 – Bezouro – É o tema extraído para as rádios e que nos remonta ao título do EP de OliveTreeDance. Sem dúvida, este tema é o que mais
nos sugere a intençao do artista em retirar-nos do pseudo-conforto da “Babilónia”, onde diariamente visitamos a cena electrónica
underground do drum n’ bass, à qual o grupo lhe chama de “urbano”, para uma dimensão totalmente orgânica, que nos transporta às raízes
rítmicas da dança, com uma versão do estilo em formato totalmente acústico, sem efeitos nem overdubs, à qual o grupo intitula de “Roots”.""

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: